Aula básica sobre a atual economia brasileira

Você é educada financeiramente

A República Federativa do Brasil, o maior país da América do Sul, mega área territorial, quase 200 milhões de habitantes, rico em diversidade cultural e com uma economia galopante em direção ao crescimento. Você sabe o que está acontecendo no nosso país? Conhece as áreas que valem a pena investir? Está interada nas dificuldades e facilidades que a economia oferece? Não? Então vamos te deixar a par de tudo isso agora!

Conversamos com uma dupla de economistas que vai tirar todas as nossas dúvidas e dar algumas dicas importantes: Reinaldo Domingos, educador financeiro e presidente do Instituto DSOP de Educação Financeira, autor de três livros sobre finanças e da primeira Coleção Didática de Educação Financeira para o Ensino Básico (2011) e Glória Pereira consultora de finanças pessoais, autora de vários livros, entre eles o Best Seller "A energia do dinheiro", e criadora do jogo de tabuleiro ‘Negócio Sustentável’.

A economia brasileira possui uma produtividade incrível, é a maior da América Latina e uma das que tem o crescimento mais rápido do mundo. Os especialistas aprofundam: "O nosso PIB, a quantidade de impostos que o Brasil anda recolhendo internamente e os picos de recordes de arrecadação da Receita Federal são índices que nunca foram tão positivos antes no país", explica Glória. Reinaldo concorda, mas enfoca: "Sim, o Brasil cresce cada vez mais e o que cresce junto é o endividamento das pessoas. A dívida e o crescimento é uma relação verdadeira, porém não eterna".

O motivo pelo qual Reinaldo afirma essa relação é claro. Pesquisas indicam a migração crescente da classe D e E para a C, mas sobre um preço alto de endividamento. "Isso acontece porque as pessoas não têm dinheiro, mas têm uma capacidade de empréstimo como nunca houve antes", argumenta o economista. "É crédito consignado, cheque especial, mas fica a dúvida: ‘quem tem dinheiro o suficiente guardado para ficar sem receber salário?’ Raras são as exceções". Glória apoia: "Existe uma facilidade muito grande para o povo brasileiro de conseguir crédito, principalmente com esses programas do governo, como ‘Minha Casa, Minha Vida’, por exemplo".

E isso acontece, de acordo com os especialistas, pela extraordinária falta de educação financeira do povo brasileiro: "A quantidade de endividados, devido aos vilões da falta da educação financeira, é crescente. O cartão de crédito e o cheque especial têm juros muito altos e as pessoas não sabem lidar com isso", alega Glória. "O consumo precisa ser consciente, ou seja, comprar o necessário. A inibição do consumo inconsciente só vai acontecer quando o brasileiro começar a se educar financeiramente. Tem sonhos? Ótimo! Planeje-os, estabeleça metas, deixe os objetivos claros", diz o escritor.

Em um exemplo muito claro e atual vamos explicar o que ocorre com a economia brasileira e o que deveria ocorrer se o povo fosse monetariamente educado: Você compra um carro, mas só pensa nas prestações e não enxerga a gasolina, o estacionamento, as multas, a manutenção, entre outros gastos. Chega uma hora que você vai se encontrar com uma mega dívida e superlotação de contas para pagar. O correto a fazer? Venda seu carro, compre um mais barato e pague o que deve. Mas quem segue essa coerência? De acordo com o economista, "em cinco anos esse ciclo poderá acarretar em um colapso econômico".

Para começar a acertar nos investimentos, ficam as dicas: "A economia está superaquecida para alimentos, roupas, viagens, cosméticos, perfumes, ou seja, a autossatisfação pessoal", afirma a consultora de finanças. "Os brasileiros, por cultura, são ligadíssimos em eletrônicos. Temos hoje em dia um celular e meio por habitante. Agora a onda dos tablets com banda larga vai vir com tudo. Os livros e games terão que se adaptar à nova tecnologia. Isso acarreta na mudança da nossa cultura, ou seja, a economia é uma roda que agrega outras áreas do país também".

E esse BUM! que a economia apresenta, é motivado pelas antigas classes que não tinham dinheiro, porém tinham desejo, e hoje que possuem a ferramenta monetária, só querem aproveitar e adquirir. É o ciclo do consumo.

Existe uma resposta para tudo isso e é ponto em comum na opinião dos dois economistas, a educação. "Não temos alternativa, ou é educação ou é educação", destaca o educador financeiro. Glória opina no mesmo caminho e acrescenta: "É importante se educar senão não se aproveita toda essa expansão da economia, o acesso ao ensino superior nunca foi tão grande, pode ser ruim, mas já existe, agora é melhorar a qualidade da educação". "Os brasileiros não são educados para o futuro, o ideal seria que as pessoas aproveitassem a expansão econômica para aplicar em investimentos futuros", reforça.

Dessa forma, fica claro entendermos a área que mais podemos e temos que investir. Sair da ignorância é sair do escuro e a única forma de ver a luz com nitidez é conhecer o que há por trás dela. Estudar as oportunidades, as opções. Conseguir realizar metas e cumprir objetivos. É isso o que falta no nosso país: conscientização de consumo. E para que se realize, só depende de nós. Não podemos culpar as promoções ou a publicidade intensa em cima dos produtos, temos que controlar nosso impulso. Portanto, antes de olhar a próxima vitrine, olhe antes o seu bolso!

Para ficar mais interada no assunto, dê uma olhada nos livros dos queridos economistas.

O best-seller de Glória Pereira, ‘A Energia do Dinheiro’. E os três livros de Reinaldo: Terapia Financeira, O menino e o dinheiro e Livre-se das dívidas

Por Alessandra Vespa (MBPress)

Comente

 

Fábio Jr. se casa pela 7ª vez

Famosos que já se casaram MUITAS vezes

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?

Últimas

Top Temas

orgasmoseparaçãoorgasmo femininoperfumes importadosemagrecersapatoscosméticosmaquiagemcarnavalpenteadosperfumedepilaçãoansiedadecortes de cabelocasainício das aulasblushpulseirachurrascobolo de cenouraformaturajusta causadecoração para festa infantilzumbapensão alimentíciahoróscopo diário