Dizer que está estressado não é nada cool!

Dizer que está estressado não é nada cool

Foto: Wavebreak Media Ltd/Corbis

Há pessoas que adoram gritar aos quatro cantos que estão sempre ocupadas, estressadas. É como se o fato de viverem rodeadas de atividades desse um certo status a elas. Mas não vá achando que esse comportamento é louvável. Estresse é um problema sério e precisa ser tratado.

Num mundo onde se mata um leão por dia em qualquer setor da vida, demonstrar fraquezas pode ser vergonhoso para muita gente. Por esse motivo, o estresse vem sendo maquiado como algo bom, descreve aquele tipo de pessoa que está sempre correndo para dar conta de todos que precisam e dependem dela.

Segundo a psicóloga clínica Marisa de Abreu esse comportamento vem ganhando notoriedade, porque nos dias o dinamismo está sendo supervalorizado. "As pessoas se sentem orgulhosas por estarem estressadas. Talvez para elas o stress demonstre que são superprodutivas e dedicadas", explica.

Mas atenção: nada disso é verdade. "O estresse também pode significar um desgaste por falta de adaptação ao trabalho que realiza. Quando uma pessoa gosta do que faz, pode se sentir cansada, mas não se estressa. O estresse abrange desgaste físico e mental."

A psicóloga avalia que as mulheres têm mais estresse emocional e apresentam mais doenças como depressão. Inclusive uma pesquisa realizada pela Apa (Associação Americana de Psicologia) concluiu que, de um grupo de 1500 trabalhadores entrevistados, 37% das mulheres se mostraram tensas com o serviço, contra 33% dos homens. E para completar, estudo do Instituto Nielsen aponta que as mulheres brasileiras ocupam o 4º lugar no ranking das mais estressadas do mundo!

Entre os principais sintomas de estresse estão os físicos, como palpitações, suor frio, falta de ar e dor de barriga, e sintomas cognitivos, que são pensamentos derrotistas, como: "Não vou conseguir", "Nada vai dar certo", "Estou perdido". Há ainda os sintomas emocionais, como depressão e crises de ansiedade.

"As exigências estão aumentando cada vez mais. Antigamente as pessoas iam para suas casas depois do trabalho e ‘desligavam’. Hoje em dia o celular não deixa ninguém ‘desconectado’. Há uma cultura atual de que devemos estar a par de tudo o que está acontecendo no mundo", comenta Dra. Marisa.

Para amenizar o estresse as técnicas mais recomendadas são psicoterapia e procurar técnicas de relaxamento. Há médicos que recomendam férias quando o nível de estresse está alto. Porém, sem trabalhar as emoções, a raiz do problema, o estresse pode até aumentar.

A psicóloga clínica pensa que talvez a pessoa estressada esteja com dificuldades em dizer "não" às tarefas que lhe estão sendo delegadas e, por isso, ficou sobrecarregada. "Não adiantaria tirar férias, pois na volta tudo estaria lá novamente", lembra. "É necessário aprender a ser assertivo e dizer ‘não’ de forma elegante."

O estresse pode se manifestar nos mais diferentes campos da vida. Dra. Marisa descreve alguns tipos. Se você tiver algum deles, procure ajuda já!


Estresse profissional: quando as exigências estão acima da capacidade de realização.

Estresse no relacionamento: quando as expectativas de harmonia são frustradas.

Estresse pós-traumático: quando uma pessoa passa por uma situação muito forte, como um assalto, por exemplo, e fica com sequelas emocionais.

Estresse social: quando, por excesso de timidez, a pessoa não consegue relaxar e ser espontânea em situações sociais.

Estresse de desempenho: quando é necessário provar competência, como, por exemplo, em provas e exames ou apresentação de trabalhos.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente

 

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?

Últimas

Top Temas

alimentaçãomassagememagrecermusculaçãobumbumnutriçãovarizestpmmenstruaçãoosteoporosedepressãotriglicéridesvidaalongamentodietacolesterolamamentaçãopartoabortogranolagripenutricionistaleg presssibutraminabepantoldieta dukandieta detoxzumbadieta ravenna